abril 18, 2009

Folha de Papel...


Lá fora está a chover... como já não se via em tempos. e cá dentro sente-se o calor, dos sentidos... auto inflamando-se, como se de uma simples folha de papel tivesse como matéria de combustão... Essa folha que arde sem se ver, e sem algum tipo de fumaça libertar... Arde porque quebrou as suas inerentes barreiras de "protecção"... impostas por uma ou outra escrita menos aperfeiçoada, ou até mesmo, porque algo se escreve sem qualquer compasso de espera... É como se uma gota de sangue, fosse veneno constante... Consumindo-nos o pensamento... E do qual não queremos dar a provar, mas servi-lo num cálice amplamente detalhado com passagens de um ser... De mim, de ti, de todos e de ninguém... Mas cá dentro as chamas ardem... Com tanta exuberância que meu corpo já se omitira de sentir, em tempos.... Mas por algum motivo arde cá dentro... e além chove, constantemente...

6 comentários:

Chichas disse...

Zébé is in da house!
Quero-te bem dispostinho...

Z.B. disse...

:)

Anônimo disse...

gostei da comparação da paixão com uma folha de papel... no fundo é mesmo isso, paixão que se consome depressa.

parabéns pelos textos, tenho gostado de ver e de rele.

gosto tambem dos ambientes que crias, e da forma como os "absorves", mostras sensibilidade nas palavras.

mais uma vez, parabens

Pedro N. disse...

Viva. Parabéns pelos textos. Demonstras muita sensibilidade e paixão por aquilo que escreves. Vai de encontro à tua forma de ser e de estar na vida. Não poderia esperar outra coisa.
Obrigado por me convidares a ver o teu blog. Certamente vou passar por cá mais vezes.
Grande abraço.

O Proprio disse...

ola pedro... obrigado pelo comentário... fico contente também por te ver por aqui :)
e claro por saber que te agradou a leitura...

grande abraço Amigo...

Feia :) disse...

E bom de tempos a tempos quebrar as barreiras , para se deixar entrar um bocadinho da chuva do alem... para diluir o veneno que ha dentro

muito lindo lindao :)) adorei
beijoca