junho 02, 2009

Mondim de Basto...


... No cimo, da serra mais alta das redondezas me encontro, e sentado para o lado de lá das barreiras da estrada, avisto toda uma paisagem esplendorosa a meus olhos...
Vejo no sopé da encosta, a singela vila se encontra, com seus telhados de tons laranja, e diferencio, ao longe as paredes de pedra, tão características da província...
... O resto da visão, encontra-se preenchido por um verde que brota em abundância por entre as montanhas, cortadas apenas por um rio de águas genuínas que nunca disputava com a terra, a sua própria terra...

A subida da serra é agora rasgada por uma estrada em perfeito estado, permitindo aos viajantes, obter total segurança... Mas em tempos era um caminho íngreme e justo...
Subir até ao topo, era uma temível aventura, onde persistia sempre o medo de pela encosta abaixo poder cais...
Agora contam-se duas ou até mesmo três faixas de rodagem, que juntamente com uma adequada protecção lateral, fizeram com que esse medo se desvanecesse... matando por outro lado um dos fascínios do local...

... Mas, no rio me foco com especial atenção, pois esta visão irá também ela desaparecer...
Usufruo o momento quase que como uma despedida antecipada...
A construção de uma barragem no local, está iminente, deixando com que esta imagem de agora, faça apenas parte de uma memória local...

... E desta imagem que com o tempo se irá perder, sentirei saudades um dia, assim como saudades tenho agora, da estrada íngreme que percorri na serra...

Ficarão, as ditas visões, que o tempo não fará desprezar...
E que jamais esquecer pretendo...

4 comentários:

Anônimo disse...

ola.

passei, li e decidi comentar este texto em particular pois é onde vivo.
despertas-te uma saudade por momentos esquecida em mim.

obrigado

e um abraço

O Proprio disse...

ola
acho que não poderia receber um comentário mais gratificante :)
fico contente por tuas palavras...

abraço

patypaulo disse...

ola priminho! adorei o teu texto! adoro esta terra onde os nossos pais cresçeram! k saudades tenho de Mondim :(
beijinhos

O Proprio disse...

temos de fazer à moda antiga e típica do povo português... vamos todos de excursão até à vila :D... de facto é triste ver que o rio onde a gente ia vai ficar diferente :(
já as saudades de Mondim vou sempre que posso matar-las... :)